quinta-feira, 28 de agosto de 2008

- Peixe Voador -

Pra quem lê o título do post, imagino que fica logo com aquela cara de que está ouvindo uma história de pescador das mais cabeludas... "onde já se viu um peixe voar?" Mas antes que me chamem de mentiroso, vamos aos fatos! No dia 20 de maio deste ano a equipe de uma TV japonesa (NHK) conseguiu filmar o vôo de 45 segundos de um peixe voador, o que foi um recorde de um vôo registrado da espécie. Antes disso, um pesquisador americano tinha conseguido registrar um vôo de 42 segundos nos anos 20.

O peixe-voador (exocoetus volitans) é encontrado em todos os mares quentes e temperados e vivem em cardumes, sendo que medem por volta de 25 centímetros de comprimento e quando pulam pra fora da água, fica planando a uma altura de aproximadamente 6 metros e percorrem uma distância de 90 metros, mais ou menos.

Isso até me lembrou de um caso acontecido com um tio meu que, há muitos anos, contava de uma cachoeira tão alta que a água nem chegava no chão direito... e todo mundo caía na risada. Depois de um tempo, uma equipe de reportagem vai na tal cachoeira e todo mundo que riu ficou com cara de bobo!! E pra quem acha que já viu de tudo, na verdade todo dia aparecem provas de que tem muita coisa nesse mundo ainda pra ver!


Caso não consiga ver o vídeo, clique aqui!


Fontes:
Wikipédia, Ache tudo e região e BBC Brasil.


--------------------- // --------------------------

terça-feira, 19 de agosto de 2008

- Clip - Pearl Jam -

Do the Evolution

Como já faz um tempinho que não tocamos no assunto "música" aqui, vamos hoje tratar de um videoclipe muito bom do Pearl Jam: o "Do The Evolution". Antes de falar do clipe, vamos começar pela banda, que tem mostrado que não se trata de apenas mais uma no louco mundo do showbizz. O Pearl Jam é uma banda de Seattle surgida em meio ao movimento grunge no início dos anos 90 e que já no seu disco de estréia (Ten), conseguiu emplacar o album como um dos mais importantes do grunge e de rock, além, é claro, de fazê-los muito famosos. A banda ainda está na ativa e é uma das poucas que conseguiram sobreviver ao grunge, amadurecendo muito de lá pra cá e também mudado um pouco o seu estilo (o que frustou alguns fãs que acompanhavam desde o início da carreira), o que é absolutamente normal.

Algumas curiosidades em torno do Pearl Jam servem para mostrar que não se trata de apenas mais uma banda como, por exemplo, a ação movida contra a Ticketmaster (empresa que domina o mercado de venda de ingressos nos Estados Unidos) reinvidicando que a empresa reduzisse seus lucros, diminuindo os valores dos ingressos e assim, beneficiando o público, um belíssimo exemplo de respeito para com os fãs. O Pearl Jam também mostra sua preocupação com temas sociais, como participar de um disco em benefício as vítimas de Kosovo e de, através das letras de suas músicas, criticar duramente a postura bélica assumida pelo governo de George W. Bush (no disco Pearl Jam, de 2006).

O clipe "Do The Evolution" é uma animação feita por Todd McFarlane, criador do personagem de quadrinhos Spawn. O clipe é uma dura crítica contra a opressão, o comportamento humano, a omissão e a ignorância.

video

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

- Trailer - Batman - O Cavaleiro das Trevas -

No começo do ano, num dos primeiros posts do Arte de Quem, comentamos sobre o lançamento do filme Batman - O Cavaleiro das Trevas, citando as expectativas dos fãs, sobre alguma coisa do enredo e principalmente sobre a passagem desastrada do diretor Joel Schumacher quando assumiu de Tim Burton a missão de filmar Batman Forever e Batman & Robin, dois filmes muito ruins. Hoje vamos tratar do filme, com um pouco mais de cuidado.

O grande problema em torno do super herói Batman é que ele não é bem um super herói e talvez, justamente por ser uma pessoa normal (ou quase), os fãs do personagem se encarregam de assumir o seu lado "super" no quesito exigência. O Batman é um dos poucos heróis dos quadrinhos de um seleto grupo que estão próximos da realidade, fundamentados pelo abalo social da criminalidade, do desequilíbrio mental, dos traumas e de outras coisas que podemos ver tanto no herói como nos vilões.

Nesta nova série iniciada em Batman Begins, o diretor Christopher Nolan se encarregou de fazer o que todo diretor que se mete a fazer filme de personagens de quadrinhos deveria fazer: ler as estórias. Christopher Nolan, que ficou conhecido após o premiado "Memento" e o bom filme "Insomnia", entendeu muito bem que para o filme ser um sucesso, ele deveria ser tratado como uma estória mais próxima da realidade. Em Batman Begins, ele explicou como o Bruce Wayne virou Batman, o quanto teve que sofrer para ser o que ele escolheu ser, como aprendeu a domar sua revolta pelo testemunho do crime dos pais e de certa forma, mostra também o desequilíbrio inicial do personagem.

O Cavaleiro das Trevas é um prato cheio para os fãs, mostrando várias referências de estórias clássicas do personagem como o próprio "Cavaleiro das Trevas" (que apenas compartilha o título, uma vez que esta estória é totalmente diferente), e também "Devoção" e "Piada Mortal", além de ser um banquete para psicólogos e afins. Bruce Wayne (interpretado novamente por Christian Bale) se esforça para ser o playboy bilionário, fútil e irresponsável durante o dia como um disfarce ideal para o seu lado vingador, punindo os criminosos que encontra e contribuindo com a segurança pública da fictícia Gotham City.

Entra em cena o promotor Harvey Dent (interpretado por Aaron Eckhart de "Obrigado por fumar") que é obcecado em fazer a justiça através do seu ofício e que após uma situação traumática e um acidente que deforma metade do seu rosto, se torna o vilão Duas Caras, um total desequilibrado mental vítima de dupla personalidade. Outra vez o diretor acerta em cheio, mostrando a transição do comportamento do promotor que chega a ser um grande aliado de Batman e do comissário Gordon (que ainda não é comissário nos momentos iniciais do fillme), totalmente de acordo com as HQs. E como não poderia deixar de ser, muito boas as interpretações de Michael Caine, Morgan Freeman e Gary Oldman.

E roubando a cena, entra o Coringa. Numa interpretação antológica de Heath Ledger (de "10 Coisas Que eu Odeio em Você", "O Patriota" e "Brokeback Montain"). O ator se entregou de corpo e alma na construção do personagem de tal forma que, segundo um funcionário da equipe do filme confessou ao Fox News, Ledger teria se trancado em seu apartamento por aproximadamente 1 mês para encontrar a melhor postura do personagem, o modo de falar e agir, o que originou dificuldades para dormir e o consumo de medicamentos para insônia. Tamanha foi a entrega que o ator agia como o psicótico personagem por mais tempo que o necessário, aparecendo nas filmagens até mesmo nos seus dias de folga. O coringa de Heath Ledger é um vilão maníaco e imprevisível, cheio de traumas pessoais que ajudam a construir o seu caráter desequilibrado, como a estória realmente pede.

No filme fica bem claro que o vilão nada mais é do que uma consequente resposta pelo herói teatral que inspira o medo dos criminosos de Gothan. O Coringa não age por dinheiro ou por motivações tão banais... ele é completamente maluco, psicopata e como uma fala do próprio personagem diz com muita propriedade "apenas um cão raivoso correndo atrás dos carros", sem motivações muito elaboradas. As cenas em que o personagem aparece são tensas, nervosas e imprevisíveis, não pensando duas vezes antes de intimidar a polícia, os políticos, o público ou a própria máfia (que podemos dizer que é sua "aliada"), bem diferente da carismática interpretação de Jack Nicholson no primeiro filme do homem morcego.

O filme funciona porque, apesar de violento em muitas partes, mostra o presente medo das pessoas da anarquia e do caos, segundo a análise do diretor. Este filme é o que mais rápido chegou a marca dos U$ 400 milhões, em apenas 18 dias, quebrando o recorde de Shrek 2, que o fez em 43 dias e pelo jeito que as coisas vão caminhando, existe a real possibilidade do filme conseguir superar a marca de U$ 601 milhões de Titanic, recorde de arrecadação do cinema. Em torno deste filme criou-se até o medo da "maldição do Batman" (alardeado pelo jornal britânico The Sun e temido pela equipe do filme) depois que alguns integrantes se viram entre nuvens negras. Primeiro foi a morte em setembro de 2007 de um técnico de efeitos especiais enquanto filmavam uma cena perigosa com um caminhão. Depois veio a morte de Heath Ledger em janeiro por overdose acidental de remédios, em julho veio uma polêmica envolvendo Christian Bale sobre a acusação de agressão a membros da família e, por fim, neste mês, Morgan Freeman sofreu um grave acidente de carro. Maldições a parte, é um filme cuidadosamente bem feito. Veja o trailer!


http://www.youtube.com/v/CW43UPykK4Y &hl=en&fs=1">

Fontes: Wikipédia, Folha Online e Portal MKSNet