terça-feira, 10 de março de 2009

- Trailer - Quem quer ser um milionário? -

Hoje vamos falar de Índia. Na verdade, não é a primeira vez que o Arte de Quem toca neste assunto... já fizemos um post há algum tempo sobre este país. Mas hoje a Índia entrou definitivamente na moda, principalmente depois que a TV Globo resolveu fazer uma novela tendo como pano de fundo a exótica Índia. Quando soube desta novela, desconfiei de imediato da escolha do país... afinal, vender uma novela brasileira para a Índia, o segundo país mais populoso do mundo (com mais de 1 bilhão de pessoas), utilizando este mesmo país como veia central da trama através do seu modelo global de luxo, com certeza seria um enorme filão de ouro, no caso de sucesso. E tem tudo para ser! Na cidade mais populosa, Bombaim, por volta de 12 milhões de habitantes vivem em barracos superlotados, como na favela de Dharavi, onde poucas são as casas que tem água encanada e banheiro, mas que mesmo assim é raro encontrar uma casa sem TV. E como diria Nelson Rodrigues (se estou certo), "o rico é o espetáculo predileto do pobre".

Mas deixando a Globo um pouco de lado, hoje vamos tratar do surpreendente filme "Quem quer ser um milionário", que desbancou filmes como "O Curioso Caso de Benjamim Button" (que tinha 13 indicações) e faturou nada menos que 8 estatuetas (melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro adaptado, melhor canção original, melhor trilha sonora, melhor edição, melhor mixagem de som e melhor fotografia) das 10 que concorria e foi a grande surpresa da noite. E o filme corresponde? Para responder esta pergunta, imagine agora um filme sobre o desempenho de um modesto concorrente do programa "Show do milhão" de Sílvio Santos. Parece estranho, mas este filme é parecido com isso. O que faz de "Quem quer ser um milionário" um belo filme é a forma como é contada, que é fascinante.

O filme conta a estória de Jamal, um rapaz simples nascido nas favelas de Bombaim, que consegue a grande chance de participar do programa de perguntas e está há um passo de ganhar 20 milhões de rúpias, feito este que faz com que os organizadores do programa fiquem desconfiados de trapaça, afinal, como pode um favelado acertar perguntas que a maioria não saberia responder? O personagem é torturado para que confesse a verdade e, ao afirmar que é inocente, é colocado sob inquérito policial para que explique como chegou a resposta, buscada em cada situação vivida por ele, servindo como condutor da trama. Há também atrelada à estória a busca pelo seu grande amor, Latika, que vive sempre aos desencontros com ele.

Apesar de ser uma produção britânica (mas com atores indianos e encenada na Índia), a conquista do prêmio máximo do cinema é um passo enorme para o cinema indiano que, atualmente, é a maior produtora cinematográfica do planeta, graças aos filmes de Bollywood, a Hollywood de Bombaim. Seus filmes são falados em hindi e fazem um grande sucesso na Ásia (dominando 90% do mercado nesta região) e em países onde existem expressivas comunidades de imigrante indianos, como Reino Unido e Estados Unidos.

O grande contraponto disso é que "Quem quer ser um milionário" não foi bem recebido na Índia. Muitas críticas foram feitas por considerar que o filme se vale da "pornografia da miséria", o que bate de frente com o orgulho do país, que detesta que as câmeras enfoquem a miséria local. Como a Índia também está orgulhosa do seu crescimento econômico e almeja patamares de superpotência, o filme é encarado como uma propaganda negativa. O filme, de fato, mostra a realidade crua do país que possui 455 milhões de habitantes que sobrevivem com menos de 1,25 dólar por dia. E isso é fato!

Para entender melhor a repercussão, basta saber quais as características dos filmes produzidos pela Bollywood. Utilizando sempre cenas em países estrangeiros (de preferência famosos pontos turísticos), suas produções tem uma grande dose de melodrama, muitas vezes readaptando grandes sucessos do cinema americano para os costumes indianos (como já aconteceu com o enredo do filme "Três Solteirões e um bebê", totalmente adaptado para o filme indiano "Hevy Babyy" de 2007), não pode faltar a relação familiar dos personagens, tem que ter muita emoção, são extremamente musicais, cheios de coreografias com dezenas de participantes (a lá "Thriller") e personagens cantores e procuram a todo custo esconder a realidade de miséria e pobreza, corrupção e tráfico, funcionando como um entretenimento escapista para o público sonhar... e geralmente duram em média 3 horas. Acostumados a filmes do tipo, é muito natural o desconforto do público com "Quem quer ser um milionário" ("sorte da Globo!" diriam muitos).

Mas polêmicas à parte, o filme vale ser visto porque, mesmo mostrando a miséria que as pessoas passam, pela desigualdade e tudo mais, ainda assim consegue contar uma belíssima história, e de quebra, também faz uma homenagem (ou uma crítica) à Bollywood, para os mais atentos.


Caso não consiga assistir ao trailer, clique aqui.


Quer baixar filmes de Bollywood? Acesse http://www.bollywood.tv/


Fontes:
Folha de SP (online), Revista National Geographic (Maio de 2007) e Revista Super Interessante (Janeiro de 2008).
Créditos da Imagens:
Cenas do filme e Revista National Geographic (Maio de 2007)



-------------------------------------------------------------------

5 comentários:

  1. Ainda não ví o filme.
    Concordo com você sobre a India, tanta beleza e tanta pobreza.E é claro que os enlatados da globo estão como sempre mostrando só o que vale a pena.
    Você me fez criar vergonha e arrumar meu orkut. obrigada.
    Desejo a você um bom final de semana.
    Apareça por lá tenho novidades. beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário. Adoro você.
    E admiro demais seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Rapaz!
    Rodrigo, o maridão, vai ficar mais mais pirado ainda. Ele corre atrás desses filmes o tempo todo: é hindu, iraniano, polonês, canadense... O pior, ou melhor, é que fiquei "viciada" também!Rsss.
    Adoro tua presença, Edu! Amanhã, volto para ver tua Arte.
    Beijinhos
    (esse negócio de sexta-feira 13 nunca colou comigo, nem gato preto, nada)

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Parece merecedor das estatuetas que ganhou.
    Tenho que parar... ir ao cinema e assistir.

    [obrigada pelo comentário]

    Bom fim-de-semana!...

    (a)braços,flores,girassóis:)

    ResponderExcluir